Um dos principais cuidados para evitar que vírus e bactérias permeiem o ambiente hospitalar é um hábito bastante difundido e comentado nesses últimos meses: a higienização das mãos.

A pandemia do novo coronavírus trouxe algumas mudanças de atitudes em todos nós e, além do uso da máscara, a higienização correta das mãos é uma ação de grande importância que evita que patógenos nocivos à saúde sejam transmitidos de pessoa para pessoa. Controlar a infecção hospitalar, através de cuidados com a biossegurança, é, atualmente, uma grande preocupação de toda equipe multidisciplinar de praticamente toda e qualquer unidade de saúde. Preocupação essa que se estende para a população mundial.

Para prevenir a infecção cruzada, e a proliferação de bactérias e vírus – inclusive o coronavírus – processos de limpeza e desinfecção são feitos rotineiramente no Hcamp da zona sul de Macapá, e, agora, mais do que nunca, os profissionais da unidade estão atentos para promover uma rotina de assepsia dentro do hospital.

Com objetivo de conscientizar os trabalhadores de saúde sobre a importância do controle das infecções hospitalares, na tarde do último sábado, dia 15 de maio, profissionais da equipe multidisciplinar entregaram panfletos informativos sobre cuidados gerais que os colaboradores precisam ter para evitar tais infecções à toda equipe.

15 de maio: dia do Controle das Infecções Hospitalares           

Em 15 de maio de 1847, na Hungria, o médico obstetra Ignaz Semmelweis incorporou a prática de lavar as mãos como uma prática obrigatória para os médicos e enfermeiros que entravam nas enfermarias. Devido essa simples ação, notou-se uma alta redução na taxa de mortalidade dos pacientes.

Por esse motivo, o dia 15 de maio foi acrescentado ao Calendário da Saúde como o Dia Nacional do Controle das Infecções Hospitalares. A data tem por objetivo conscientizar a população, autoridades, profissionais de saúde e gestores sobre a importância do controle das infeções para toda a comunidade.

Suportescreen tag
Skip to content