Colaboradores do Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH) se mobilizaram em campanha de doação de sangue. O objetivo era de coletar o máximo de sangue e destinar essas doações a Olavo Pereira da Silva. O paciente tem 71 anos e é avô da colaboradora Bruna Grasieli de Souza Brito, do Departamento de Controle Interno. Ele foi diagnosticado com leucemia mieloide há pouco mais de dois meses e requer transfusões de sangue e de plaquetas.

Ao constatar a situação de Bruna, os amigos do IBGH se uniram e decidiram colaborar. A comunicadora e coordenadora de relações institucionais do IBGH, Laila Dionízio Chagas, iniciou a mobilização. O resultado foi que o grupo de 15 pessoas foram juntos doar sangue no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia. O IBGH liberou todos os colaboradores interessados a doar e, desde a semana passada, as doações vêm sendo realizadas.

“Ao perceber a gravidade da situação, vimos que temos um corpo de colaboradores sensacional e que muitos se interessaram em ajudar. Com o apoio do IBGH, foi fácil reunir o grupo e organizar as idas ao banco de sangue. Estamos contentes em poder ajudar”, ressaltou Laila.

Gratidão

Para Bruna, o altruísmo dos colegas de trabalho e a disposição em ajudar fazem toda a diferença. “Sou imensamente grata pelo apoio a todos que participaram da campanha. Este é um ato de solidariedade que está ajudando a salvar a vida do meu avô”, disse.

Na quinta-feira, dia 18, um grupo do IBGH esteve no Hospital para realizar as doações. Nágilla Barbosa de Castro, do departamento financeiro, foi uma delas. A colaboradora nunca havia doado sangue antes. “Estou com um pouco de medo, mas o motivo é nobre em prol de um bem maior”, afirmou.

Suelen Carolina Prates e Cristina Souza também são do setor financeiro. Para Suelen, é importante se envolver em ações que podem ajudar o próximo. “É uma ação do bem, para ajudar quem precisa. O IBGH nos dá a chance de nos organizarmos em ações afirmativas”, afirmou.

Compromisso social

Diretor geral do IBGH, Nasser Tannus, ressaltou que a campanha dialoga com os objetivos do Instituto. “Temos sempre um compromisso com a saúde. Conseguimos atingir nosso objetivo”, ressaltou. Tannus destaca que cada doador pode salvar até quatro vidas, o que mostra a importância de se promover campanhas e esclarecimentos sobre a doação de sangue.

O IBGH apoia diversas ações sociais, com creches, escolas e, agora, com a doação de sangue. Tannus afirma ainda que o engajamento da equipe superou as expectativas. “Muitos se solidarizaram com a situação e participaram da campanha. A equipe está de parabéns!”, comemorou.

Falta sangue

As doações de sangue caíram 13% na última década na rede pública em Goiás. Enquanto as doações chegaram a 25,607 procedimentos em 2009, o número caiu para 22.247 em 2018. Enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza uma porcentagem de 4% da população como doadores regulares, em Goiás esse número não ultrapassa 2%.

O déficit diário de bolsas de sangue em Goiás é de 50 bolsas, sobretudo dos tipos AB – e O -. A demanda por sangue aumenta durante os feriados nas Unidades de saúde.

Para doar sangue, é preciso estar atento a alguns requisitos:

– Estar em boas condições de saúde.
– Ter entre 16 e 69 anos.
– Pesar no mínimo 50kg.
– Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas)
– Estar alimentado, por isso evite alimentos gordurosos e aguarde até 2 horas para doar.

A doação não tem custos, demora poucos minutos e garante um atestado de doação.

Veja mais sobre como foi a ação:

Suportescreen tag
Skip to content