Desde segunda-feira, 20 de novembro, os moradores de Jaraguá, em Goiás, passaram a contar com um Hospital que agora está submetido a uma nova metodologia de atendimento, com foco na segurança do paciente. Isso porque o Hospital Estadual Dr. Sandino Amorim (HEJA), construído pelo Estado de Goiás e inaugurado em 1990 no município, agora é administrado pelo Instituto Brasileiro de Gestão e Hospitalar (IBGH), Organização Social que também administra o Hospital Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), em Pirenópolis.

Para marcar a ocasião, várias autoridades e entidades participaram da solenidade de oficialização da entrega da Unidade para o IBGH. O vice-governador do Estado de Goiás, José Eliton, e o Secretário de Saúde de Goiás, Leonardo Vilela, realizaram uma visita técnica ao Hospital, acompanhados pelo Superintendente Executivo, Deusdedith Vaz; pelo Superintendente de Acesso a Serviços Hospitalares e Ambulatoriais, Cleudes Baré; e pelo presidente do IBGH, Bruno Figueiredo.

Segundo o secretário Leonardo Vilela, o estado tem a convicção de que com o IBGH o serviço será de excelência para toda a população de Jaraguá e região. “Este é um dia para se comemorar. A transferência do Hospital para a responsabilidade do estado de Goiás é um grande desafio. Contamos que com a administração IBGH a população será bem atendida”, explicou.

Transferência em boa hora

Até 2015, o HEJA pertencia ao município de Jaraguá e por resolução aprovada pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB), foi transferido para a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). Neste ano, por meio do chamamento público promovido pela SES (001/2017), o IBGH foi escolhido para gerenciar a Unidade.

Para o presidente do Instituto, Bruno Figueiredo, a meta agora é melhorar toda a estrutura; do fornecimento dos medicamentos ao atendimento. “O Contrato de Gestão prevê metas que vamos cumprir rigorosamente. Nosso objetivo é ampliar e potencializar as ações voltadas para a área da humanização nas práticas do cuidado. A intenção é que o paciente se sinta bem acolhido, em um ambiente agradável e organizado”, explicou.

Metas a serem respeitadas

Segundo o assessor técnico de Gestão Hospitalar do IBGH, Dr. André Braga, o ganho da cidade ficará claro com os fluxos administrativos ocorrendo de forma mais ágil, com empenho e menos burocracia. “A gestão do IBGH fará com que o HEJA volte a funcionar na sua plenitude. O importante é pontuar que o grande mote da gestão terceirizada é aumentar a eficácia garantindo economia. Esses são os pilares da administração inteligente”, afirmou.

A meta da Organização Social é apresentar um Plano de Investimento dando prioridade ao centro cirúrgico que deve estar reformado dentro de 45 dias. A obra não paralisará o atendimento.

Suportescreen tag
Skip to content